Quanto peso tenho carregado?

Quanto peso tenho carregado?

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Jejum Intermitente, Compulsão Alimentar e Dieta Low Carb



Aproveitando que não comi nada ontem por causa do Halloween; hoje, por estar me sentindo bem, resolvi continuar... Ainda não estou com fome. É a primeira vez que tento fazer um jejum de mais de 24 horas, embora saiba que o jejum de 24 horas já garante bons resultados. Ainda não sei como o meu corpo irá reagir quanto ao peso, mas preciso compreender o meu metabolismo (auto conhecimento) e se julgar que é melhor comer de 3 em 3 horas, voltarei a essa prática.

Uma das coisas que já comprovei em mim neste novo estilo de vida é que quando como mais proteínas e gorduras e menos carboidratos a compulsão alimentar desaparece, realmente nunca mais comi em excesso, ainda como muito (dá pra ver pelas fotos) mas ainda peso 90 kg e preciso de muita comida, mas descobri a maravilhosa sensação da saciedade seguindo o estilo Low Carb. Antes comia doces, pães, arroz, bolos e pipoca de forma descontrolada, há 83 dias sinto que eu estou no controle e não a minha fome. Quando decido que vou comer 3 ovos é muito, mas como só isso e me sinto cheia metade do dia, em outros tempos repetiria minha refeição umas 3 vez no mínimo, um prato cheio de arroz ou macarrão geralmente, quanto mais comia, mais queria comer.

Um dia, conversando com a nutricionista sobre essa compulsão descontrolada ela me relatou que já tinha observado entre seus pacientes que todas as pessoas que comem compulsivamente geralmente comiam as mesmas coisas e ainda citou: "doces, bolos, sorvete, pipoca, leite condensado", ou seja puro carboidrato. Alguns estudos que li alertam para o perigo do jejum desencadear um processo de compulsão alimentar, então aparentemente é ariscado o que estou fazendo, pois já possuo um histórico de compulsão alimentar, sobre isso tenho ainda pouca experiência para relatar aqui pra vocês, pois essa é a terceira vez que faço essa prática, mas não tive nenhum episódio compulsivo após as minhas práticas de jejum e se tiver vou parar.

O motivo pelo qual faço jejum não é apenas para ver o ponteiro da balança mudar, pois sei que recuperamos parte desse peso, o meu motivo pessoal é me livrar da dependência que tenho da comida, quero aprender a comer apenas quando sentir fome. Já li relatos que indicam que o açúcar pode causar dependência e uma crise de abstinência semelhante ao dá cocaína, bem, nunca usei drogas e nem vou, mas já observei comportamentos estranhos meus diante dos doces por exemplo, como boca seca, nervosismo e tremedeiras, sintomas semelhantes aos relatados pelos usuários de drogas, não é mesmo?

Antes que alguém me diga que eu preciso de ajuda eu já sei. E esse blog já é parte deste tratamento! Outro é a psicanalista, comentei com ela que achava impossível emagrecer, pois me julgava viciada em comida e quando alguém está viciado ele precisa se afastar e eu não podia deixar de comer, como um drogado que nunca mais usa drogas ou um bêbado que nunca mais entra em um bar para não cair em tentação.

Cheguei a desistir de emagrecer por um tempo e engordei quase 10 kg, foi aí que vi que nunca mais posso parar. Mas sempre entendi errado o quê acontecia comigo, e todos os médicos com os quais me consultei também, todos tentaram curar "minha depressão" e me deram remédios que tomei e não senti diferença nenhuma, a dose foi aumentada 3 x e nenhuma diferença foi sentida, eu continuava comendo quantidades enormes de comida. Por está cansada de tudo isso, por conta própria resolvi parar com os remédios e mudar a minha alimentação, com a ajuda da psicanalista identifiquei quais os alimentos despertavam a compulsão em mim e decidi parar de come-los, ela me disse: "você não precisa deixar de comer, apenas não coma até conseguir se controlar os alimentos que não te fazem bem".

Desde quando segui essa dica comecei a emagrecer e muito. Depois conheci a Dieta Dukan e a partir daí a compulsão desapareceu totalmente (retirada dos carboidratos), curiosa como sou, resolvi ler e pesquisar sobre a relação entre carboidrato e compulsão alimentar, aí encontrei blogs instrutivos sobre os perigos do carboidrato e como fazer jejum de forma adequada. Por sentir a comida sem gosto algumas vezes, principalmente as comidas com sal, por falta da gordura (o bife ficava duro parecendo sola de sapato, he he he) resolvi abandonar a Dukan e seguir num estilo apenas sem o açúcar e as farinhas, voltei a ter prazer ao me alimentar e sem perder o controle, milagre!

Todas as vezes que converso com alguém sobre isso ouço um bombardeio de críticas, dizendo que estou louca, que não posso deixar de comer carboidratos, que o certo é seguir o que os médicos falam, blá, blá, blá.

Ora, eu estava sendo entupida de remédios o que sou contra e não sentia efeito nenhum. Agora estou emagrecendo, controlei minha compulsão sem tomar remédio nenhum e ainda estou me sentindo bem, porquê estou errada?

Se você me falar que jejum gera anorexia eu vou te dizer que nunca achei mulher magra demais bonita, já conversei muito com pessoas com anorexia, (pois tinha compulsão alimentar e precisava falar com quem não fosse me julgar - depois disso resolvi procurar a psicanalista) e não concordo com a visão delas, embora admita que já fiz umas coisinhas erradas como tomar laxantes, mas não gosto de ver ossos e não tenho pretensão alguma de ficar magra a esse ponto. Tenho orgulho das minhas coxas grossas e quero mante-las assim após emagrecer, o único jeito é a musculação. Adoro meu bumbum grande e meus seios de silicone, sim, sou vaidosa, mas não ao extremo de colocar silicone pra todo lado e ficar plastificada, coloquei onde era necessário e pronto. Ora, tive três filhos!

É isso, quis dividir minha história e explicar porque faço jejum. Se ao longo do tempo perceber que a dieta com pouco carboidratos ou o jejum está me fazendo mal comentarei aqui, por enquanto estou me sentindo cada vez melhor.